Gol de Schwenck contra o Vasco

Reação do Figueirense é notável

 

Após a partida contra o Vasco, nesta terça-feira, o torcedor alvinegro pode bater no peito, com verdadeira esperança, e afirmar que tem um time que, sim, está entre os mais cotado a subir para a elite – o que tem grande chances de acontecer. A realidade do Figueirense sofreu uma reviravolta impressionante desde a chegada de Márcio Araújo, antes do técnico chegar e até mesmo após a derrota para a Portuguesa em sua estreia, o Figueira estava distante do G4, a torcida desacreditada e a mídia praticamente descartando a ascensão do alvinegro. Até que então, com uma mudança inacreditável de postura. Neste post farei uma análise de quais são os motivos desta mudança do alvinegro.

Os resultados estão vindo e, ao contrário dos bons momentos de vitórias da era Roberto Fernandes, o Figueirense não está apenas somando três pontos, além disto está jogando bem e bonito, com atuações convincentes. Esse último fato está totalmente ligado à mudança de treinador, pois enquanto Roberto Fernandes cismava com um tipo de jogo dependente de velocidade e chutão pra frente, além da estratégia defensiva de liberar os alas encaixando mais um zagueiro apenas para “povoar” a área e deixando a criação adversária com liberdade – não dando certo -, tornando o time muito dependente de lampejos individuais de Rafael Coelho e matando o jogo cadenciado de Fernandes; Márcio Araújo já preza, além de uma marcação bem postada do meio-de-campo pra trás – com grande atenção a quantidade de jogadores no meio-de-campo que não dão liberdade para a criação adversária -, também pela valorização da posse de bola, do jogo cadenciado e até mesmo do toque de bola próximo, levando a bola para suas principais armas criarem, aí sim com certa velocidade, mas com a bola nos pés – Fernandes, Egídio, Lucas. Vem dando muito certo. Além disso, Márcio Araújo exerce um papel motivador impressionante, tirando um time sem raça para uma condição de elenco que merece o acesso.

O Figueirense tem um dos melhores elencos da Série B, inclusive bem melhor que o do ano passado e acho injusto também deixar de levantar este ponto que o blog sempre defendeu. Não estou querendo proteger o ex-técnico alvinegro, aliás discordo bastante de suas concepções táticas, como já supracitado, mas o mesmo sofreu bastante com um problema recorrente, o das lesões, e agora com o retorno destes jogadores lesionado às atividades físicas o time ganhou muito. O Figueirense chegou a ter 8 desfalques em uma partida, como contra o São Caetano – jogo importantíssimo. Imaginemos qualquer time dos maiores do Brasil com oito desfalques? Na situação que o Figueirense estava naquele jogo, Wagner Líbano seria o responsável pela armação de jogadas no Internacional, fazendo uma comparação. Inclusive agora ainda não tivemos todos os jogadores disponíveis, haja vista a lesão do principal atacante do elenco – Rafael Coelho. Uma pergunta paira no ar: será que o Luis Guilherme Bérgamo, preparador físico da era Roberto Fernandes, teria responsabilidade por este problema porque o Figueirense sofreu tanto nesta Série B? Afinal agora tudo parece estar dando certo, inclusive no DM.

Imperdoável também deixar de lembrar da chegada dos novos contratados. Roberto Brum encaixou no meio-de-campo alvinegro como uma luva, com uma tranquilidade e qualidade acima da média, o “pastor alvinegro”, além da grande qualidade no desarme, aumentou consideravelmente a saída de bola e os passes. Além disso, o mesmo exerce grande liderança por ser um jogador experiente, com frases motivadoras. Maicon também foi um jogador que surpreendeu, afinal ajudou demais Fernandes em campo por dividir a responsabilidade além de munir muito bem os alas e os atacantes com passes precisos, além de sua força física.

Mas o que realmente importa é que, pelos motivos levantados e explanados acima, o Figueirense retomou o caminho de glórias, vitórias, destaque na imprensa nacional e boas atuações que os torcedores alvinegros estavam acustumados nestes últimos 10 anos. Como o alvinegro usuários da Comunidade do Figueirense no Orkut Isaac comentou: “Quem aqui amigo, não chorou ou se embargou com aquele gol do Fernandes ontem, garanto que foi uma lembrança dos tempos bons que vivemos com o nosso time e que neste ano não estavam mais acontecendo, quem aqui?”. Faço questão de afirmar que com o futebol jogado nas últimas três partidas se mantendo o Figueirense Futebol Clube retornará ao lugar de que jamais deveria ter saído.

Anúncios